Oftalmoscopia

A observação do fundo do olho é a mais rica e detalhada representação ao vivo e em cores da situação das artérias, veias e nervos do olho humano, pois na sua visualização somente meios transparentes se interpõem entre o médico e a retina do paciente, salvo em situações patológicas. A retina funciona assim como uma janela através da qual se visualiza a saúde do organismo de uma maneira geral.

A retina é um tecido nervoso sensível à luz, localizado na superfície interna da parte posterior do olho, cuja função é transformar o estímulo luminoso em um estímulo nervoso. Comparando com o processo fotográfico, a retina é como se fosse o rolo da máquina, que capta imagens por meio das suas células fotorreceptoras para enviá-las ao cérebro.

A oftalmoscopia ou fundoscopia é o exame em que se visualizam as estruturas do fundo do olho, dando atenção ao nervo ótico, os vasos retinianos, e a retina propriamente dita, especialmente a sua região central denominada mácula. O princípio ótico consiste na projeção de luz, proveniente do oftalmoscópio, para o interior do olho e mediante a reflexão dessa luz na retina é possível observar essas estruturas.

Indivíduos que não têm problemas oculares ou doenças que predispõem a males na região dos olhos, como hipertensão arterial e diabetes, devem realizar o exame anualmente, especialmente se já passaram dos 40 anos.

A oftalmoscopia é usada para triagem de doenças oculares e doenças que afetam os vasos sanguíneos. Elas incluem: diabetes, glaucoma (pressão excessiva no olho), hipertensão, degeneração macular (perda de visão no centro do campo visual), melanoma nos olhos, citomegalovírus (CMV – uma infecção da retina), lesão no nervo ótico, rutura ou descolamento da retina.

Indivíduos que não tem problemas oculares ou doenças que predispõem a males na região dos olhos, como hipertensão arterial e diabetes, devem realizar o exame anualmente, especialmente se já passaram dos 40 anos.

O exame de fundo de olho pode trazer informações importantes em indivíduos de todas as idades. Recém-nascidos prematuros e cujas mães tiveram infecções durante a gravidez devem ser submetidos a um exame de rotina detalhado de fundo de olho. A oftalmoscopia, nestes casos, pode indicar a presença de tumores como o retinoblastoma, infecções como toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e sífilis, além de doenças como a retinopatia da prematuridade, doença relacionada à formação dos vasos da retina que pode levar à cegueira.

Em adultos, o exame de fundo de olho realizado regularmente é fundamental para o diagnóstico precoce de diversas doenças oculares, entre elas o glaucoma. Aliado à medida da pressão intraocular, permite que o tratamento seja iniciado antes da presença de sintomas, já que o glaucoma, é uma doença silenciosa que pode levar anos para causar dificuldade visual.

As alterações relacionadas ao envelhecimento, como o surgimento de drusas na retina e o desenvolvimento de degeneração macular relacionada a idade, também são sempre observadas durante a oftalmoscopia.

A oftalmoscopia, por suas ligações com a clínica médica, a neurologia e outras especialidades, é um elemento importante para o diagnóstico e acompanhamento de diversas doenças sistémicas. Em pacientes com hipertensão arterial ou diabetes, uma oftalmoscopia cuidadosa pode trazer informações valiosas sobre a situação vascular subjacente. Este é um método prático e fácil para se avaliar os danos em órgãos alvo, além de fornecer informações sobre a atividade e tempo de desenvolvimento dessas doenças. Este exame é mais um meio disponível no Alfaiate dos Óculos para um melhor acompanhamento e tratamento destas doenças e prevenir suas complicações oculares e sistêmicas.